Bolsonaro: “É possível fazer a economia avançar sem aumentar impostos”

Candidato do PSL disse "quer um Brasil diferente do que está aí".

0

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, participou nesta quarta-feira (4) de sabatina realizada pela Confederação Nacional da Indústria, a CNI, em Brasília. Líder em diversas pesquisas que medem a intenção de voto, Bolsonaro afirmou que sua equipe econômica confirmou a hipótese de melhorias para o país, como a manutenção da inflação baixa, a diminuição da taxa de juros, sem a necessidade de aumentar os impostos.

“O pessoal da economia que me assessora, eu sou capitão do Exército, sou artilheiro, entendo de derivada e integral, um montão de coisa. Mas de economia, eu não estudei economia, e eu tenho levado para quem me assessora na economia problemas como se fosse um dono ou dona de casa. Dá para manter a inflação baixa, diminuir a taxa de juros, um dólar que não atrapalhe quem queira exportar ou quem queira importar. Começar a pagar essa monstruosa dívida interna que tá na casa dos três trilhões e 600 bilhões, sem aumentar impostos? A resposta da equipe foi sim e eu fiquei feliz, porque o cozinheiro vão ser eles, eu estou dando os ingredientes, o ingrediente mais importante é 100% da confiança. E tenho dito, nós não podemos tomar uma medida e depois voltar atrás porque não vai dar certo. Não podemos errar”.

Bolsonaro afirmou que a situação do Brasil exige um presidente isento, que transmita confiança e honre com seus compromissos. O pré-candidato também criticou a atuação de ministros do Supremo Tribunal Federal.

“A gente precisa de um presidente que chegue lá de forma isenta, que transmita confiança, que diga e que realmente faça, que honre com os seus compromissos, respeite as leis. Se não concordar com qualquer coisa, socorra-se no parlamento, que evite que o nosso Supremo Tribunal Federal continue legislando”.

Com um discurso amplo, abordando assuntos que foram desde a situação do estado de Roraima até a inclusão de países no Mercosul, Bolsonaro disse que pretende unificar os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

“Vamos fundir os ministérios da Agricultura e Meio Ambiente. Vamos acabar com essa briga, vamos deixar que ONG’s internacionais venham interferir na nossa política ambiental aqui. Ninguém quer o mal para o meio ambiente”.

Jair Bolsonaro disse aos empresários que “é preciso arrumar a casa” e que “quer um Brasil diferente do que está aí.” Ao ser questionado sobre a afirmação de que colocará generais a frente de ministérios, o pré-candidato garantiu que vai colocar militares no poder, “não por serem generais, mas pela competência”.

Na coletiva de imprensa, o parlamentar ainda esbanjou confiança e afirmou que tem tudo para ganhar no primeiro turno.

Bolsonaro foi o terceiro pré-candidato ouvido na sabatina promovida pela CNI. Antes dele, falaram Geraldo Alckmin, do PSDB, e Marina Silva, da Rede Sustentabilidade. Além deles, os pré-candidatos Álvaro Dias, do Podemos; Ciro Gomes, do PDT; Henrique Meirelles, do MDB, também participarão do evento.

 

 

Reportagem, Paulo Henrique Gomes – agenciaradiomais

#Eleições2018

Deixe uma resposta